Liquidação Bruta

O novo modelo de liquidação não altera o processo de liquidação bruta. No entanto, haverá a consolidação do tipo de participante que pode atuar neste módulo, bem como melhorias quanto às formas de comunicação e tecnologia utilizada.

Portanto, será mantida a característica básica do modelo atual: a liquidação bruta ocorrerá operação por operação e não será garantida pela Câmara como contraparte central. A ausência da função de contraparte central implica que as operações liquidadas neste módulo não serão objeto de gerenciamento de riscos ou exigirão estrutura de salvaguardas a elas associada.

O módulo de liquidação bruta continuará a assegurar a utilização do mecanismo de entrega contra pagamento, eliminando-se, assim, o risco de principal.  Na liquidação bruta, dada a própria natureza dos mercados que utilizam esta modalidade, o horário para a entrega de ativos e transferência de recursos financeiros no Sistema de Transferência de Reservas (STR) é, e permanecerá, flexível e estão, e continuarão, especificados nos documentos que amparam as operações.